7 descobertas arqueológicas assustadoras

A história é mesmo fascinante, não? Muitas pessoas dedicam suas vidas para entender o que acontece em séculos atrás, os arqueólogos. Eles estudam as sociedades e culturas humanas por meio de objetos utilizados no passado. Com o conhecimento adquirido, ele investiga sítios arqueólogos e observa marcas deixas pelo objeto tentando entender como ele foi ocupado.

Mas afinal, para que serve todo esse estudos sobre o passado? Bom, a história é muito útil para a vida, de uma forma pragmática, ou seja pode fornecer conhecimento sobres a alargada da sociedade e da cultura, perspectiva crítica sobre fenômenos políticos, entendimento das diferença entre as pessoas, países e as civilizações, mas em algumas dessas escavações os estudiosos acabam encontrando coisas extremamente bizarras.

Recém-nascidos

Em 2014, no antigo porto de Ashkelon, em Israel, o arqueólogo Ross Voss fez uma descoberta horrenda. Ele encontrou um grande número de pequenos ossos no sistema de esgoto da cidade, logo abaixo de um balneário romano. Quando terminar de estudar o achado eles identificaram que se tratava dos ossos de mais de 100 bebês, que tinham vivido menos de uma semana.

Vampira

Em 2006, um esqueleto feminino foi encontrado em uma vala nos arredores de Veneza, Itália. Com o achado, eles descobriram mais uma forma cruel de matar pessoas acusadas de bruxaria na Idade Média. O crânio estava com a mandíbula destruída pela entrada forçada de um tijolo em sua boca. Cientistas estimulam que tal método era aplicado em supostos vampiros

Homem de gelo

Em 1991, um grupo de Alpinistas encontraram um corpo congelado nas montanhas da Áustria. Ao realizar estudos no corpo, descobriram que o ele tinha mais de 5.300 anos, e que havia sido morto por uma flechada. Múmia do Similaun, como foi chamado, estava tão preservado por causa das condições frias da montanha que não aparentava ser tão antigo.

Estacas

Em 2009, em Motala, na Suécia, foram encontrados onze crânios humanos em estacas. Alguns deles tinham vestígios de conter outros crânios dentro deles. Arqueólogos acreditam que o local, que é próximo a um lago, era usado com um depósito de mortos há cerca de 8 mil anos.

Sacrifício gelado

Em 1999, perto do vulcão Llullaillaco, na Argentina, foram encontradas três múmias de crianças muito bem preservadas. De acordo com os arqueólogos, algumas crianças incas eram escolhidas para o sacrifício capacocha, e deviam caminhar até o alto das montanhas geladas e ficar ali até a morte.

Canibais

Em 1994, foram encontrados restos de 12 neandertais de uma mesma família em uma caverna da Espanha. Segundos os estudiosos, todos os doze morreram ao mesmo tempo e pelo estado dos ossos e falta de algumas partes, eles chegaram a conclusão de que se tratava de um ataque de outro grupo para comer as vítimas.

Câmara de gás

Em 1933, o arqueólogo Robert du Buisson fazia escavações em uma antiga fortaleza na região da atual Síria quando encontrou uma pilha de 19 esqueletos de soldados romanos no fundo de um túnel, além de um soldado persa aparentemente em pânico, tentando tirar sua armadura. Vestígios de enxofre e betume levam a acreditar que se tratava de uma armadilha química dos persas.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *