Você sabia que estamos criando uma bolha protetora em volta da Terra sem nem perceber?

No ano passado a NASA detectou uma ‘bolha’ maciça em volta da Terra. O mais curioso disso é que tal bolha foi feita pelo homem, e sem querer. Essa barreira tem um efeito no clima espacial que vai além da atmosfera do nosso planeta e isso significa que não estamos influenciando apenas na Terra, mas também no espaço. Os especialistas creem que uma nova era geológica provocada pelo homem deveria ser nomeada.

Mas de que maneira essa bolha pode afetar o espaço e o planeta Terra? As consequências são boas ou ruins? Felizmente, caros amigos, a notícia não é ruim como a maioria de vocês estão pensando. A gente explica melhor essa história para vocês.

Uma boa notícia

Essa barreira que foi criada na verdade é benéfica. Ainda em 2012, a NASA lançou sondas espaciais para observar os cinturões de Van Allen. Para quem não sabe, o nosso planeta é cercado por dois cinturões de radiação. Um, o interno, se estende por 640 a 9.600 quilômetros acima da superfície terrestre. A outra, a externa, está a uma altitude de mais ou menos 13.500 a 58.000 quilômetros.

Já em 2017 as tais sondas espaciais lançadas repararam algo diferente enquanto fazia o monitoramento a atividade das partículas carregadas presas no campo magnético da Terra. As descargas solares perigosas estavam sendo mantidas à distância por algum tipo de barreira de baixa frequência.

Quando os pesquisadores analisaram, eles perceberam que tal barreira na verdade estava afastando ativamente os cinturões de Van Allen da Terra nos últimos tempos. Foi descoberto também que as correntes de radiação estavam mais distantes de nós, comparando com a proximidade nos anos 60.

Barreira de frequências

Essa barreira era formada por um tipo de comunicação de rádio chamado de frequência ultra baixa, que em inglês significa “very low frequency”, ou VLF. Graças a essas frequências temos hoje um clima espacial antropogênico, criado pelo homem.

Phil Erickson, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, disse o seguinte: “Várias experiências e observações descobriram que, sob as condições certas, os sinais de comunicação de rádio na faixa VLF podem de fato afetar as propriedades do ambiente de radiação de alta energia ao redor da Terra”.

O que essa bolha muda no espaço?

Quando foi comparado a localização da bolha de VLF aos limites dos cinturões de radiação, primeiro eles pensaram que era apenas uma coincidência o fato da extensão externa da bolha corresponder quase o mesmo tanto que à borda interna dos cinturões.

Depois que perceberam que os sinais de VLF tinham o poder de influenciar o movimento das partículas carregadas dentro de tais cinturões, eles conclupiram que a bolha estava progressivamente os empurrando para longe.

Mesmo que a bolha, feita sem querer, seja a melhor influência que já fizemos no espaço, com certeza ela não é a única. Nossa marca está sendo deixada por lá desde o século XIX e principalmente nos últimos 50 anos, tudo graças aos testes de explosões nucelares.

Foram as explosões que criaram cinturões de radiação artificiais perto da Terra que já resultaram em grandes danos a vários satélites. Os outros impactos antropogênicos no ambiente espacial também incluem experimentos químicos e aquecimento da ionosfera por ondas de alta frequência.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *