Quais seriam as consequências da destruição total da Floresta Amazônica?

Ela é a maior floresta tropical do nosso planeta. A Floresta Amazônica ocupa cerca de 600 milhões de hectares, tendo partes em nove países, sendo mais da metade em território brasileiro. Para vocês terem uma ideia do tamanho dessa maravilha aqui no Brasil, a Floresta Amazônica inclui os estados do Pará, Amazonas, Roraima, Amapá, Rondônia, Acre e parte dos estados do Maranhão, Mato Grosso e Tocantins.

O clima equatorial, com temperaturas médias altas, tem chuvas abundantes que caem o ano inteiro. Lá também podemos encontrar a maior bacia hidrográfica do mundo, tendo como principal rio o Amazonas. Estima-se que cerca de 20% da água doce do planeta circula na bacia Amazônica. Muita coisa, concordam?

Mas o que aconteceria com o mundo se a Floresta Amazônica desaparecesse?

O desaparecimento de 5,5 milhões de quilômetros quadrados traria várias consequências. Como citamos no parágrafo anterior, estima-se que 20% da água doce do planeta esteja lá, e talvez toda essa água sumiria completamente do nosso planeta. Além disso, aconteceria a extinção de milhares de espécies de plantas e animais, algumas delas que nem são conhecidas ainda.

Em um estudo feito pela Universidade da Virginia, nos EUA, foram feitas simulações digitais, e descobriram que a derrubada da Floresta Amazônica modificaria todo o regime de chuvas em todo o mundo. Além disso, aumentaria a temperatura global em 0,7 graus Celsius.

Segundo Paulo Moutinho, diretor do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), “A Amazônia estoca uma quantidade muito grande de carbono em suas árvores, e o desmatamento contribui para o agravamento das mudanças no clima”. Sendo assim, a destruição da floresta causaria vários desequilíbrios climáticos para a Terra.

Para vocês terem uma ideia, desde os anos 70, a derrubada da mata para ocupação urbana e agropecuária, mais de 755 mil quilômetros quadrados da floresta tropical foram desmatados. Isso daria, mais ou menos, três estados de São Paulo. No ano de 2013 e 2014, cerca de mais de 4,8 mil quilômetros quadrados da floresta foram destruídos. Com todas essas consequências, ainda existem pessoas que querem entregar a reserva Renca para mineração. Pode uma coisa dessas?

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *