Kinkaku-ji: o Templo de Ouro de Kyoto

Kyoto é uma das cidades japonesas mais interessantes. Por vários séculos, foi a capital do país, residência do imperador e o centro cultural do Japão, palácios, templos e toris (portais de madeira que indicam os ambientes sagrados), herança da riqueza e tradição japonesa, estão por toda parte.

Por isso, não é de se estranhar que Kyoto seja conhecida como a “cidade dos mil templos”. Contudo, essa é apenas uma expressão de linguagem. Não existem mil templos por lá. Existem, ao contrário, muito mais. Calcula-se que o número seja entre dois e três mil templos budistas e santuários xintoístas.

Com tantos templos e santuários, fica até difícil escolher quais visitar. Os mais famosos e procurados pelos turistas são o Kinkaku-jiKiyomizudera e Ginkaku-ji, considerados patrimônio mundial pela UNESCO.

O templo zen budista Kinkaju-ji, um símbolos da cidade de Kyoto, é imperdível! A foto do Pavilhão Dourado com o reflexo na água é um clássico!

Kinkakuji Temple

O pavilhão foi construído em 1397 pelo xogun Yoshimitsu Ashikaga (xoguns eram os comandantes dos exércitos. Detinham o poder real, por indicação do Imperador. Eram poderosos e influentes). Após a sua morteo local foi convertido em templo.

Para visitar o templo, é necessário pagar uma taxa de ¥ 400, cerca de R$ 8,50 (adultos) e ¥ 300, cerca de R$ 6,40 (menores de 7 a 15 anos).

Kinkaku-ji Temple

Logo na entrada há um mapa do complexo, com a indicação do templo, jardins, lojinhas e tea garden.

Kinkaku-ji Temple

Os jardins impressionam desde o início.

Kinkaku-ji TempleKinkaku-ji Temple

Depois de uma curta caminhada, vença o grupo de turistas sempre presente no local e consiga um espaço em frente ao lago Kyōko-chi para tirar as melhores fotos do templo.

Kinkaku-ji Temple

Não é difícil achar um bom ângulo. O tempo é bem fotogênico.

Kinkaku-ji TempleKinkaku-ji TempleKinkaku-ji Temple

Na primavera e no outono é bem comum ver grandes grupos de japoneses visitando as atrações turísticas locais. Portanto, prepare-se para se deparar com multidões. São, em geral, crianças e senhores da melhor idade. As crianças adoram interagir. Quando percebem que alguém não tem olhinhos puxados, começam logo o diálogo. Em inglês, claro. Escutamos diversas diversas vezes  “Hi”, “Hello”, “How are you?”.

Kinkaku-ji Temple

Voltando ao templo, não deixe de contemplar sua beleza arquitetônica. Os três andares tem diferentes estilos arquitetônicos, mas compõem um resultado final absolutamente harmônicos. O templo já sofreu vários incêndios e sua estrutura atual foi reconstruída em 1955.

Kinkaku-ji Temple

O andar térreo tem estruturas de madeira e gesso branco bem diferente dos andares superiores, que são totalmente cobertos por folhas de ouro. No segundo andar, a fachada é em estilo bukke, construção predominante nos castelos samurais. Já o último andar tem inspiração em um salão chinês. No topo do templo, fica uma fênix dourada.

Não é possível a entrada no templo. Então o jeito é tentar olhar atentamente a varanda do primeiro andar para observar as estátuas budistas em seu interior.

Depois de observar o templo, o passeio continua pelos belos jardins, que ainda mantém os projetos originais da época do xogum Yoshimitsu Ashikaga. Há muito verde, água e pedras.

Kinkaku-ji Temple

No caminho pare para observar o Fudo Hall, que é um pequeno templo, e a Casa de Chá Sekkatei. Na saída há pequenas lojas de souvenirs e lanchonetes.

Kinkaku-ji Temple

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *