Este homem matou 13 pessoas para tentar evitar um desastre natural

Hebert Mullin morava na Califórnia em 1972, e ele achava que um grande terremoto aconteceria perto da sua casa. Mas para evitar isso, ele tinha uma solução terrível. Ele era esquizofrênico e as vozes de sua cabeça o avisaram sobre o terremoto. Hebert achava que ele podia impedi-lo se matasse várias pessoas.

No fim de 1972 e começo de 1973, ele assassinou 13 pessoas deixando sua região em pânico e deixando sua reputação como o assassino do terremoto.

Vida

Hebert nasceu em 18 de abril de 1947 em Salinas, na Califórnia. Em sua formatura do ensino médio, ele foi nomeado como a pessoa com maior probabilidade de ter sucesso. Mas depois do seu ensino médio, seu melhor amigo foi morto, o que segundo alguns especialistas pode ter desencadeado a esquizofrenia do homem.

Aos 19 anos ele experimentou LSD e cannabis pela primeira vez, e rapidamente se tornou um usuário virtual. O uso de drogas, supostamente, piorou os sintomas da doença e quando ele tinha 21 anos, a família notou os sinais de esquizofrenia. Ele tentou se tratar, mas saiu do hospital depois de seis semanas.

Ele passou por vários hospitais e quando seu prognóstico passou de fraco para ruim, ele começou a dizer aos seus colegas que estava ouvindo vozes.

Terremoto

O aniversário de Hebert era no mesmo dia que o terremoto de São Francisco aconteceu em 1906. E sua esquizofrenia piorou quando ele começou a ter pensamentos bizarros relacionados a esse dia. Em 1972, um matemático previu que em 4 de janeiro de 1973, um terremoto devastador iria para Califórnia. Então as vozes de Mullin ligaram seu aniversário aos terremotos e o sacrifício humano era o jeito de evitá-lo.

Hebert explicou que: “Nós, seres humanos, através da história do mundo, protegemos nossos continentes de terremotos cataclísmicos por assassinato. Em outras palavras, um pequeno desastre natural evita um grande desastre natural”.

Assassinatos

Em 13 de outubro de 1972, Hebert começou sua matança matando um homem que passava chamado Lawrence White. Hebert disse mais tarde que ele acreditava que White era Jonas da Bíblia, e disse que Jonas havia telepaticamente pedido a Hebert para matá-lo para que os outros fossem salvos.

Sua segunda foi no dia 24 de outubro, o terceiro em 2 de novembro e em 25 de janeiro de 1973, ele matou cinco pessoas em um dia. Nenhum terremoto tinha chegado, o que o deu mais segurança que eram seus crimes que estavam evitando. E no dia 6 de fevereiro ele foi a um acampamento e matou quatro adolescentes de uma vez.

Tribunal

Ele foi preso depois do seu 13º e último assassinato no dia 13 de fevereiro, depois de atirar e matar um homem em seu jardim em plena luz do dia. O vizinho do homem anotou a placa de Hebert e chamou a polícia.

Ele foi julgado por 10 dos 13 assassinatos e se declarou culpado de todos os 10. No julgamento, Hebert falou das vozes que ouvia e lhe diziam para matar. Ele foi condenado à prisão perpétua e permanece na Prisão Estadual de Mule Creek.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *