Após 60 anos, família desvenda enigma deixado em garrafa

Diariamente, nos deparamos com diversas histórias com seus desfechos acessíveis, não é mesmo? No entanto, o que mais chama a nossa atenção são aquelas que escondem o seu final, ou seja, são misteriosas. E assim segue a história de um bilhete encontrado dentro de uma garrafa em uma praia australiana, há 60 anos. O documento escrito finalmente foi resolvido. Durante esse tempo todo, a família de Jack Howlett tentava descobrir quem foi o autor da mensagem, porém, nunca conseguiu encontrá-lo. Somente agora, recentemente, com a ajuda das redes sociais e da imprensa local, a história teve o seu tão esperado desfecho.

De acordo com Kent Howlett, de Brisbane, na Austrália, seu pai, Jack foi quem encontrou a garrafa com um bilhete escrito à mão. Isso aconteceu em uma praia da ilha de Frasr, há 60 anos. Na época, houve uma certa comoção para enfim encontrarem o autor do bilhete. A mensagem estava acompanhada de um cardápio de uma viagem que havia sido realizada no ano de 1935, no navio MV Wanganella, de Sydney para Auckland, na Nova Zelândia. A garrafa foi lançada ao mar durante a viagem. No papel havia o endereço de Robert Hare, na cidade de Ballarat. O bilhete era assinado por Billy Hare. Jack dedicou parte de sua vida procurando pelos Hare, mas descobriu que não havia mais ninguém com o nome morando no endereço. Sendo assim, o cartão ficou esquecido em uma gaveta durante anos.

Recentemente, Kent resolveu usar as redes sociais para encontrar algum parente de Billy. A história ganhou espaço na imprensa australiana e, após uma entrevista concedida na ABC Brisbane, Lindy Hare, filha de Billy, conseguiu o contato com Kent. “Estamos organizando para nos encontrar e trocar histórias em breve. É muito legal, e estou tão satisfeito que conseguimos terminar uma história que começou há muito tempo”, contou Billy por meio do Facebook.

Bilhete

Lindy disse que seu pai morreu em 2013, mas que ainda existem fotos da sua viagem a Nova Zelândia, quando ele arremessou a garrafa ao mar. De acordo com ela, a aventura marcou a vida de Billy, que posteriormente se tornou o primeiro professor de radiologia da Austrália. Ele foi o responsável por levar ao país os seus primeiros ultrassons, angiogramas e exames mamários. “Foi adorável ter algo além do túmulo dele. Ele ficaria tão emocionado”, disse Lucy à Australian Broadcasting Corp. Kent afirmou que vai deixar Lindy decidir o que fazer com os documentos da garrafa. Eles irão se encontrar em breve e ele espera que o documento não vá parar no fundo de uma gaveta por mais 60 anos.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *