8 pessoas que conquistaram o “impossível”

Muitas pessoas conseguem mudar o mundo de uma forma única, nem que se seja o seu mundo individual. Os dons que elas podem ter são capazes de melhorar diversas coisas e elas nos provam isso com atitudes. As habilidades físicas e cognitivas do nosso corpo geralmente são bastante limitadas, por isso, é imposto o que devemos ou não fazer. No entanto, alguns psicólogos acreditam que é o nosso cérebro é o responsável pelo controle dos nossos limites, podendo encolher ou estender esse campo. Diariamente temos pessoas que superam seus próprios limites e nos provam que todas as limitações impostas não passam de ilusão. É o famoso ato de surpreender todos, incluindo ela mesmo.

Josh Sundquist

Josh treinou muito para poder fazer parte das paraolimpíadas após perder uma das pernas. Ele perdeu um dos membros aos 10 anos por causa de um câncer nos ossos. A doença foi curada quando ele tinha 13 anos, daí em diante ele passou a treinar. Seis anos depois do início dos treinos, ele se tornou um membro do time de esqui para as paraolimpíadas dos Estados Unidos.

George Dantzig

George era um candidato a doutorado na Universidade da Califórnia. Ele chegou atrasado para a aula de estatística. Ele encontrou dois teoremas estatísticos no quadro-negro e confundiu com a lição passada para os alunos. Ele elaborou então um método de estudo e resolveu os problemas sem saber que eles eram “insolúveis”. Os teoremas passaram a fazer parte de sua dissertação.

Jason Padgett

Após ser brutalmente atacado em um bar, Jason sofreu uma lesão cerebral. Ele passou a ver o mundo com uma “lente da geometria”. Antes do incidente, ele era vendedor de móveis. Após o ocorrido, ganhou a capacidade de visualizar objetos matemáticos complexos e diversos conceitos de física. Segundo os cientistas, Jason é um exemplo claro da síndrome de savant, algo extremamente raro. Com isso, as pessoas normais adquirem habilidades fora do normal.

Reinhold Messner

Messner possui diversos registros. Ele foi o primeiro homem a escalar as montanhas com mais de 8 mil metros. Sua escalada ao Monte Everest sem levar oxigênio extra foi realizada em 1978 e isso era algo considerado impossível para os médicos e especialistas. Ele ainda foi a primeira pessoa a escalar o Everest sozinho. O perigo de escalar algo tão alto sem oxigênio extra é que o corpo é obrigado a trabalhar com mais intensidade.

Jure Robic

Jure é um ciclista esloveno e mantém um recorde para o ciclismo por causa de sua resistência. Ele foi o vencedor cinco vezes de uma corrida de bicicleta de 3.000 milhas. De acordo com os cientistas, o segredo dessa ultra resistência é que ele ignorou as mensagens que seu próprio cérebro emitia sobre a fadiga. Sendo assim, ele passou a ouvir sua vontade.

Herbert Nitsch

Herbert mergulhou até uma profundidade de 253 metros. O mergulhador austríaco estabeleceu então 33 recordes mundiais. Durante o mergulho, ele temporariamente adormeceu devido a narcose de nitrogênio. Ele sofreu com doença de descompressão por isso, mas está treinando e se libertando.

Chul Soon

Chul Soon relembra que, aos 20 anos de idade, ele pesava apenas 56 quilos e era tratado com desrespeito. Ele então decidiu fazer uma mudança em sua vida há doze anos. Ele começou a se exercitar e com uma boa dieta combinada com os exercícios, se tornou o fisiculturista coreano mais conhecido.

Randy Gardner

No ano de 1964, Randy, de 17 anos, ficou acordado por 11 dias e 25 minutos para um projeto da feira de ciências. Durante esse período, todas as suas habilidades cognitivas, sensoriais e físicas foram totalmente monitoradas. Ao fim do experimento, o jovem participou de uma conferência de impressa, falando sem se perder com as palavras. Ele curiosamente não apresentou nenhum efeito negativo durante seus dias acordados.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *