7 coisas que precisa saber sobre os fones de ouvido

Sabe aquela sensação que as vezes temos de querer fugir? Esquecer os problemas e visitar um outro universo? Ou mesmo quando estamos muito cansados pra fazer alguma coisa? Tudo que nos resta são os fones de ouvido. Costumam ser companheiros pra muitas situações, desde as mais tristes até as mais felizes. No entanto, é sempre preciso lembrar que de amigos, eles podem se transformar em verdadeiros inimigos… É só questão de tempo.

Muitos são os cuidados que precisamos levar em consideração caso queiramos manter nossa audição em bom estado. Embora os  fones sejam nossos aliados desde os momentos de distração até enquanto estamos trabalhando, procure não exagerar!

Cuidado ao emprestar seus fones de ouvido

É muito comum que as pessoas compartilhem os fones de ouvido. Seja enquanto estão caminhando ou enquanto estão dividindo o mesmo ônibus. Pode ser um gesto carinhoso, afinal, compartilhar músicas é uma demonstração de afeto, mas tome muito cuidado.

Emprestar ou compartilhar seus fones pode ser um ato perigoso, uma vez que as bactérias do ouvido da outra pessoa podem se instalar no seu dispositivo. Dessa forma, é possível desenvolver graves infecções, caso a pessoa tenha algum tipo de problema semelhante. O melhor a fazer é sempre  desinfetá-los após recebe-los de volta.

Reforçando: eles acumulam bactéria!

Mas não pense que precisa desinfectar seus fones de ouvido apenas depois de emprestá-los! O recomendado é higienizá-los pelo menos, de 2 em 2 meses, visto que suas bactérias também ficam por ali. Um estudo recente foi capaz de identificar cerca de 10 mil bactérias e fungos em um desses aparelhos. Muitas doenças podem se desenvolver a partir daí e, no pior dos casos, é possível perder a audição. Fica o alerta!

Problemas auditivos

Talvez esta já seja uma velha conhecida de todo mundo. Se as bactérias são capazes de nos deixar surdos, o volume alto tem o mesmo poder. Escutar músicas extremamente altas pode ser proporcionalmente prejudicial aos seus ouvidos, provocando a “Perda auditiva induzida por ruído (pair)”, que pode provocar problema temporários ou definitivos. Use seus fones de ouvido com moderação!

Evite usá-los em ambientes barulhentos

Parece bem contraditório, visto que é comum usarmos os fones exatamente para fugir dos ruídos do ambiente em que estamos. Mas acredite, essa é a pior coisa que podemos fazer. Quando estamos expostos a esse tipo de situação, costumamos aumentar muito o volume da música para abafar os sons alheios. Bem, assim como já mencionamos, volumes altos podem prejudicar e muito nossa audição. Quando as pessoas ao seu redor escutam a música que toca em seus fones, significa que o volume está acima de 70 decibéis, o que já representa um risco…

Não durma com eles

Embora seja do gosto de muita gente dormir com os fones de ouvido, é uma prática nada recomendada. Sem contar com o volume, as bactérias e tantos outros problemas que isso pode te causar, vale lembrar que seus ouvidos também precisam de descanso. O momento de dormir é normalmente quando o meio em que estamos fica em silêncio. Portanto, desfrute dele também!

Fones intra-auriculares

Bem, aqui temos uma linha bastante tênue. Os fones intra-auriculares são aqueles que entram em seu canal auditivo, permitindo que o som externo seja isolado de forma mais eficiente. Com ele é possível “sentir a música” com mais intensidade e até mais emoção. O lado positivo é que permitem o melhor controle do volume, uma vez que abafam melhor os ruídos. No entanto, esse também pode ser o problema. Volumes muito altos com esse tipo de fone são triplamente piores, já que estão posicionados de forma interna. Tudo depende do uso correto!

Podem te estimular a fazer exercícios

Ao escutar músicas pelos fones de ouvido enquanto praticamos alguma atividade física, acabamos sendo estimulados. O som pode nos ajudar a manter o ritmo, servindo como forma de incentivo. “A endorfina liberada no exercício faz a pessoa se sentir bem e reduz seu limiar fisiológico. Isso afeta o ouvido“, disse a fonoaudióloga Eliana de Martino, da Universidade de Guarulhos. Ou seja, basta se lembrar de não aumentar muito o volume e pode ser algo realmente produtivo.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *