4 doenças que mudaram o mundo drasticamente

peste

A história sempre teve seus altos e baixos, fosse com tempos de guerra ou de paz ou então em meio à doenças e epidemias que dizimaram boa parte de uma população e que depois foi extinta, o fato é que, de uma forma ou de outra, algumas dessas doenças foram capazes de mudar a o mundo drasticamente.

Gripe espanhola e o Tratado de Versalhes

Em 1918, a gripe espanhola dizimou cerca de um terço da população mundial e uma das pessoas infectadas pelo vírus foi Woodrow Wilson, presidente dos EUA na época e um dos responsáveis pelo Tratado de Versalhes que acabou por sancionar a Alemanha e colocá-la em uma enorme crise.

Entretanto, por causa da doença, WIlson havia ficado cansado, lento e distante de suas obrigações, segundo funcionários da Casa Branca, o que acabou por dar espaço ao primeiro ministro da França, Clemenceau, que acabou liderando a formulação do Tratado, acredita-se que, se Wilson não tivesse ficado doente, a Alemanha não entraria em colapso e Hitler poderia não ter subido ao poder.

A Tuberculose e a moda

No começo do século XIX, a tuberculose era uma doença muito comum nos EUA e na Europa, isso fez com que sua “caracterização” fosse incorporada à moda da época, como uma espécie de “romantização da doença”, refletindo em cores mais claras e pálidas, mudando até mesmo o padrão corporal para o magro.

Depois de um século, os cientistas aprenderam mais sobre a doença e com isso aplicaram políticas de saúde pública, o que mudou novamente a moda, alterando as roupas para mais curtas e a retirada dos pelos faciais dos homens, acreditando-se que o agente causador vivia nas barbas e bigodes.

Peste Negra e Igreja Católica

No século XIV, cerca de 1/3 da população europeia morreu devido à peste e o catolicismo era a principal religião da época, regida pela Igreja Católica.

Muitos dos que morreram eram fiéis da Igreja e, com isso, ela acabou perdendo muita influência e poder, uma vez que foi incapaz tanto de explicar o porquê daquilo estar acontecendo ou então de fornecer algum tipo de ajuda, o que permitiu, por exemplo, que as pessoas perdessem a confiança em Deus, abrindo espaço a medicina.

A Praga de Athenas

Até hoje não se sabe o que causou a tal praga em 400 a.C. e, um dos acometidos por ela foi Péricles, um importante líder ateniense que teria um papel fundamental na guerra do Peloponeso se não fosse por sua morte, além disso, Athenas perdeu 25% de sua população, reduzindo sua capacidade militar, o que contribuiu para a derrota na Guerra do Peloponeso e mudou a política na Grécia Antiga.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *