Seria possível conectar um cérebro à internet?

Conectar o cérebro humano com a rede de internet e outros aparelhos tecnológicos é o objetivo de muitos cientistas já a algum tempo. Transferir a consciência de uma pessoa para um corpo imortal e se tornar quase que invencível é o sonho de muitos. O que fez com que o tema aparecesse em diversas histórias fictícias e futurísticas como o filme Transcendence. Acontece que esse futuro distante que tanto imaginamos pode não estar tão afrente de nosso tempo assim.

Você provavelmente já viu algo sobre o assunto retratado na televisão e imaginou que isso nunca seria possível e se fosse estaria bem distante de nós e longe da compreensão humana, podendo causar a sua destruição como muitas histórias mostram. O que nos espera para o futuro através dessas descobertas e evoluções nós não sabemos mas o que parecia fantasia já se tornou realidade. É sim possível conectar um cérebro humano à internet e isso já foi feito.

O estudo

A pesquisa foi realizada através da Universidade de Wits em Joanesburgo na África do Sul e fez enormes avanços na área da engenharia biomédica. Eles conseguiram fazer com que o cérebro humano fosse conectado a internet em tempo real pela primeira vez na história. O projeto recebeu o nome de Brainternet e transforma os dados do cérebro em registros da internet. Os resultados apresentados até o momento foram extremamente positivos e os cientistas tem enormes esperanças para o futuro do seu trabalho. Eles esperam desenvolve-lo ainda mais e aumentar as suas capacidades e funções.

Como ele funciona

Para que isso fosse possível, o voluntário para o teste usou durante alguns dias um equipamento sem fio chamado headset. Ele é capaz de captar e registrar as oscilações neurais ou ondas cerebrais da pessoa. Isso é a ordem que circula em nossa cérebro. Os dados então armazenados são transferidos para o Raspberry Pi. Nele os dados são interpretados através de um software presente no minicomputador. Depois disso ele é conectado a uma refe Wi-Fi onde irá, em tempo real, processar todos os dados e informações recebidas pelas ondas cerebrais até uma página da internet.

O mais interessante de tudo isso é que da mesma forma que o cérebro transmite informações para a rede de internet a mesma também pode passar alguns dados para o cérebro. O que permite certo grau de interatividade entre um e outro.

Utilidades e expectativas

Por enquanto o teste feito se trata apenas da afirmação de um conceito. Confirmando a sua possibilidade e abrindo portas para futuros experimentos. Os cientistas que trabalham no projeto pretendem fazer com que, mais a frente, seja possível criar uma maior interação entre o cérebro e o computador. Eles acreditam que seja possível haver uma troca de informação entre ambos. Não sendo unilateral. Isso poderia fazer com que os cientistas pudessem estudar mais facilmente o cérebro das pessoas e ajudar com a inteligência artificial e avanços de aprendizagem.

Pode parecer surreal mas avanços futuros levando como base esse primeiro passo poderiam gerar estimulações cerebrais e promover o aprendizado instantâneo de determinado assunto. Já que o computador poderia também transmitir informações para o cérebro. Outra de suas aspirações futurísticas é possibilitar o controle de computadores e dispositivos tecnológicos com o uso da mente. Projetos envolvendo o assunto existem desde os anos 70 porem não continham uma forma não invasiva de realizar as transmissões. O Brainternet pode ser esse caminho.

Gabriel

Analista de sistemas que gasta todo o seu tempo disponível em blogs, por ser o que realmente ama. Estarei sempre trazendo as novidades do mundo e disponibilizando na web para todos os usuários assíduos do Samurai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *