7 lugares do espaço que desafiam as leis da física

O Universo é tudo o que existe fisicamente, a soma do espaço e do tempo e as mais variadas formas de matéria, como planetas, estrelas, galáxias e os componentes do espaço intergaláctico. Além de estar cheio dessas coisas e possivelmente pode ter a presença de extraterrestres, o Universo também tem coisas que desafiam as leis da física.

De ondas plasmas que dançam à pequenas estrelas que envergonham o Sol. Sim, muita coisa do Universo é completamente inexplicável, como os itens que nós vamos mostrar para vocês nessa matéria. Então, confiram agora a nossa lista com os 7 lugares no espaço que desafiam as leis da física:

Ondas em Ganimedes

O espaço pode até parecer um grande vazio, mas a verdade é que existem partículas carregadas circulando por ele. Em algumas condições, elas podem “dançar” ou se mover em ondas rítmicas. Isso acontece, por exemplo, ao redor de Ganimedes, enquanto as partículas são chicoteadas pela magnetosfera de Júpiter, que é 20 mil vezes mais potente que a da Terra.

O próprio campo magnético de Ganimedes faz a amplificação, gerando uma região intensa de ondas de coro ou ondas de plasma de baixa frequência.

Tais ondas de plasma criam fenômenos como auroras, elétrons destrutivos “assassinos” e sons de assobio. O mais impressionante é que o apito eletromagnético de Ganimedes (a intensidade da onda do coro), é um milhão de vezes maior do que qualquer coisa na vizinhança solar, inclusive maior que o Júpiter.

O asteroide 3200 Phaethon

O asteroide 3200 Phaethon recentemente provou ser ainda mais estranho do que os astrônomos esperavam. Phaethon é um híbrido de asteroide-cometa anômalo com uma órbita excêntrica semelhante a um cometa que a leva da porta do Sol para além de Marte.

Ele é um pouco mais leve que o carvão e é azul porque tem sido “cozido” a 815 graus Celsius. Esse “cozimento” transforma o asteroide de 5 quilômetros de largura em um local que transforma metal em uma espécie de gosma. Além disso, o Phaethon potencialmente gerou a chuva anual de meteoros Geminídeos que nos impressionam todo mês de dezembro.

Anã marrom

As anãs marrons são estrelas de baixa luminosidade que não consegue iniciar a fusão do hidrogênio em seu núcleo. Resumindo, são estrelas fracassadas. Elas são muito frias, como a WISE 0855, o objeto mais frio conhecido fora do Sistema Solar. Localizada a 7,2 anos-luz de distância, é -23 graus Celsius e cinco vezes mais massivo que Júpiter .

Essa anã marrom é tão fria que está no limiar de visibilidade dos maiores telescópios infravermelhos da Terra. Ela foi descoberta em 2014 e se tornou a “coisa mais fraca” já descoberta. Embora essa anã marrom possa se parecer com Júpiter, a análise espectral revelou um mundo úmido e nublado, repleto de “vapor de água e nuvens”.

Uma estrela-bebê cercada por um anel protoplanetário de poeira e gás

A maior parte do espaço parece não ter condições de vida, mas em 2015, os astrônomos encontraram a primeira evidência de “blocos de construção” em torno de uma estrela-bebê chamada MWC 480. Localizado em Taurus, uma vasta região de nascimento de estrelas a 455 anos-luz de distância, o MWC 480 é tão jovem que ainda está em seu “colo”, cercado por um anel protoplanetário de poeira e gás.

Sendo maior que o nosso Sol, brilhando dez vezes mais que o dobro de sua massa, seu ambiente é rico em compostos orgânicos como o cianeto de metila. Com esses elementos complexos presentes nas nuvens interestelares, isso prova que essas substâncias podem sobreviver à formação de um Sistema Solar e que provavelmente envolvem outras estrelas.

Formação de estrelas na galáxia COSMOS-AzTEC-1

O COSMOS-AzTEC-1 é uma pista para entender como funcionam os gases das galáxias que têm uma forte produção estelar. Essa é uma galáxia estelar muito grande no limite do universo, a 2,4 bilhões de anos-luz de distância da Terra. Essa galáxia tem uma enorme taxa de formação de estrelas, cerca de mil vezes maior que a Via Láctea.

Nas galáxias de nascimento, o gás colapsa para dentro devido à gravidade, causando o nascimento de estrelas. Então as estrelas morrem, e as supernovas resultantes criam pressão externa, alcançando um equilíbrio entre colapso e expansão.

Mas o COSMOS-AzTEC-1 é desequilibrado e instável. A gravidade esmaga o gás e causa um efeito de formação de estrelas incontrolável em duas enormes nuvens de detritos, localizadas longe do centro, onde geralmente acontece o nascimento de estrelas.

Tempestades em Júpiter

A sonda Juno está atualmente orbitando o planeta Júpiter. Essa sonda manda várias imagens do planeta, inclusive de tempestades quase inexplicáveis. No Polo Norte, os olhos infravermelhos de Juno observavam um ciclone central do tamanho da Terra, cercado por oito tempestades menores, variando em tamanho de 4.000 a 4.700 quilômetros de diâmetro e girando a 354 quilômetros por hora.

Juno também avistou um gigantesco ciclone no Polo Sul, cercado por cinco tempestades de até 6.900 quilômetros de diâmetro. De algum jeito misterioso, essas tempestades cósmicas de categoria 5 não estão migrando pelos polos ou se fundindo em vórtices maiores, como seria de se esperar de tempestades como essa.

Mistura química na lua Europa

A lua de Júpiter, Europa, é sem dúvida a melhor aposta para encontrar alienígenas. Sabe-se que a lua da Galileia escondia um oceano de 100 quilômetros de profundidade, sob a crosta. Mas agora os astrônomos têm evidências de que o oceano troca substâncias químicas com a superfície, assim como com sua lua irmã, Io.

A espectrometria mostra a presença inesperada de epsomite, um sal de sulfato de magnésio, na superfície de Europa. Ele é formado com a adição de enxofre, irradiado do corpo mais vulcânico do Sistema Solar, a lua Io. O enxofre se mistura com sais de magnésio que escora, do oceano da lua Europa, fazendo dela um ensopado mais rico.

7 formas de se controlar a ansiedade

O sentimento de ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio de ansiedade. Você tem problemas para dormir um dia antes de fazer algo muito importante? Vive preocupado e tendo medos extremos em situações simples da rotina? Talvez você sofra de ansiedade e ainda não sabe.

Existem alguns tratamentos para a ansiedade, como a psicoterapia ou mesmo tomando remédios para ansiedade. Também há algumas dicas que podem te ajudar a combater ou mesmo controlar a ansiedade, e foi o que nós trouxemos para vocês nessa matéria.

Pratique atividades físicas

Uma das formas mais comuns de combater a ansiedade é praticando exercícios físicos. Isso ajuda a lidar com estados de ansiedade pelo fato da produção de serotonina (substância que aumenta a sensação de prazer) ser elevada. Claro que essa solução funciona de acordo com a disposição de cada indivíduo, já que nem todos gostam de praticar exercícios. O bom é que além de ser um exercício para o corpo, os exercícios físicos também colaboram com a nossa saúde mental.

Otimize a sua noite de sono

Todo mundo sabe que o ideal é dormir 8 horas por dia, certo? Porém, é preciso saber exatamente o padrão do sono. Em uma noite de sono, uma pessoa passa por entre quatro a seis ciclos de sono diferentes, e se caso ela acordar durante o estágio REM (do sono mais profundo), as consequências podem trazer estresse ou mesmo ansiedade. Se você observar o padrão, é possível programar para que você evite acordar nessa hora. Existem aplicativos de celular que podem te auxiliar nessa tarefa.

Tenha uma boa dieta

Por incrível que pareça, ter uma boa alimentação pode ajudar no combate a ansiedade. Alimentos ricos em fibras, ômega 3, iogurte probiótico e bastante zinco estimulam a liberação de neurotransmissores, como a serotonina e dopamina. Comer porcarias fazem exatamente o contrário, enviando sinais ao cérebro de que o corpo está sob estresse.

Organize sua rotina

Mas como isso pode ajudar uma pessoa com ansiedade? As pessoas ansiosas têm uma sensação de descontrole, o que pode ser resolvido com um planejamento e realização de cada tarefa do dia. Quando mais preparado você está para cada função, menor será o sofrimento antes de executá-la. As pessoas ansiosas se sentem improdutivas e saber organizar a agenda são atividades que as colocam no controle da situação. Só é preciso tomar cuidado para propor fazer algo que não conseguimos, o que gera tensão.

Hábitos nas redes sociais

É preciso rever os seus hábitos nas redes sociais. Muitas pessoas postam as coisas e ficam esperando as curtidas e comentários, gerando ansiedade. Claro que as redes sociais não causam a ansiedade, mas elas são fontes de informações que geram essa sensação. Quando você perceber que as redes têm um grande gatilho que dispara ansiedade, vale a pena repensar a forma de usá-las.

Cuide bem do momento antes de dormir

Evite ficar agitado, preocupado ou desgastado antes de ir dormir. Claro que as vezes as coisas acontecem sem que a gente programe, mas o que você conseguir evitar já vai trazer benefícios. Evite conversar assuntos mais sérios momentos antes de ir para cama. Acabe com os pensamentos de tomada de decisão em momentos de relaxamento, isso vai fazer você ter uma noite melhor e ajudar a combater a ansiedade.

Faça ioga

Pode parecer conversa fiada, mas acreditem, o ioga pode te ajudar bastante. Essa é uma das melhores formas de estimular o sistema nervoso parassimpático, o mesmo que ativa o modo “descansar e digerir” do nosso organismo. Muitas pesquisas revelaram que isso é mais eficaz para melhorar o humor do que fazer caminhada, por exemplo. Lembrando que o ideal é praticar ao menos três vezes por semana.

7 descobertas genéticas recentes que são incríveis

A genética é uma área constantemente estudada, por conta de seus inúmeros mistérios e de todas as particularidades que a área oferece. Não apenas os humanos são um verdadeiro quebra-cabeça em relação à genética, ela está em tudo, em todos os seres vivos que nos rodeiam. Por conta disso, há inúmeras questões sem explicação que geram vários estudos. Alguns deles foram bem sucedidos e apresentaram avanços na área.

Labradores marrom

Os labradores são uma das raças mais populares quando o assunto é cão de estimação. O tipo favorito são os de pelagem marrom, que é resultado de genes recessivos. Apenas uma fêmea e macho marrom são capazes de produzir uma ninhada da mesma cor. No entanto, isso poderia estar matando os animais. Um estudo realizado no Reino Unido confirmou essa informação. Os cães que têm gene recessivo vivem menos e estão mais propensos à doenças de pele e ouvido. Os cães que não tinham cor chocolate viveram quase 15 meses mais que os de cor marrom.

Olhar azul do huskie siberiano

Em 2018, os pesquisadores se desdobraram nos estudos sobre a genética dos huskies siberianos que têm olhos azuis. Mais de 6 mil cães tiveram seu material genético analisado e algo chamou a atenção em seu cromossomo 18. Os pesquisadores então aprofundaram os estudos nesse cromossomo e encontraram algo único dos huskies siberianos. Eles então encontraram o gene ALX4, que quando se duplica dá o tom azul aos olhos dos cães. Apesar de ser um gene parecido com o de outros mamíferos, essa mutação não tem o mesmo resultado em nenhum outro ser vivo.

Bactérias resistentes

Há algum tempo, os cientistas já sabiam da capacidade das bactérias de roubar DNA estranho para se adaptar a um novo ambiente. É o que se chama de transferência horizontal de genes. Apesar de nunca ter sido presenciado, os estudiosos especulavam que a bactéria teria um tipo de braço que capturava o DNA perdido. A confirmação para essa hipótese aconteceu apenas em 2018, quando os cientistas tingiram a bactéria e o DNA e analisaram todo esse processo. Com esses estudos, pretende-se encontrar uma forma de combater bactérias resistentes a antibióticos.

DNA migratório

No núcleo da célula há o DNA funcional, também chamado de cromatina. Estudos detectaram movimento nesta parte do DNA e os cientistas não entendiam como isso poderia ser possível. No entanto, em 2018, os pesquisadores se desdobraram sobre o fenômeno para entendê-lo. A descoberta foi que o núcleo da célula decide que tudo ao seu redor deve se mover e então tudo acontece. A cromatina se expande e contrai para realizar o movimento. O motivo desse movimento é a incógnita da vez, os cientistas agora pretendem descobrir o porquê dessa ação. A hipótese é que isso tem algo a ver com a transformação e replicação dos genes.

DNA dupla hélice

Em 2018, os cientistas foram surpreendidos por uma nova forma de DNA. A estrutura é completamente diferente do que conhecemos, o DNA se parece com um nó torcido e tem três pontas. Foi a primeira vez que a estrutura foi encontrada em células vivas, agora o intuito é descobrir qual função esse formato específico de DNA desempenha. A hipótese é de que em células saudáveis, o DNA pode oferecer riscos e em células anormais pode resultar em doenças.

Injeção contra cegueira herdada geneticamente

Também em 2018, uma injeção simples teve excelentes resultados no tratamento da coroideremia. A doença ocular é uma das principais causas da cegueira, até então intratável. O tratamento foi realizado com 14 pacientes portadores da coroideremia. A terapia se resumia em injetar um vírus com o gene ausente na parte de trás dos olhos, com o objetivo que isso tratasse as células nervosas da retina e suprisse a deficiência do gene. O resultado foi que o processo de deterioração parou e uma parte, na verdade, mostrou melhoras na visão. Mesmo cinco anos depois, ninguém mostrou sinais de cegueira novamente. Caso a terapia não fosse realizada, grande parte dos pacientes teriam perdido a visão com o passar do tempo.

Cicatrizes de abuso sexual no DNA

Os cientistas agora encontraram uma nova forma de comprovar casos de abuso infantil. O que se descobriu foi que o trauma infantil também deixar marcas no DNA. A pesquisa foi realizada apenas com homens, entre eles, alguns que sofreram com abuso na infância. O que se descobriu foi que as vítimas de abuso tiveram alterações no processo de metilação do DNA, que pode indicar se houve um crime e quando ele ocorreu. Nesse estudo, as vítimas mostraram escurecimento em 8 regiões do DNA, sendo que 29% eram em um local específico.

7 descobertas que nos arrependemos de termos feito

Na vida, é normal fazermos uma série de coisas das quais, na maioria das vezes, tardiamente, costumamos nos arrepender. Talvez seja algo pequeno, como ter criado caso com alguma coisa tão pequena ou ter esquecido de pagar aquela conta que está vencendo. Da mesma forma que elementos do cotidiano podem despertar arrependimento, grandes itens também geram pesar – muito maiores na verdade. Se coloque no lugar de um cientista famoso que, após fazer uma descoberta magnifica, vê isso sendo usado para algo maligno. Como estaria se sentindo com isso?

Esses membros da sociedade, assim como muitos outros, estão em uma posição onde todas as suas descobertas e decisões têm consequências gigantescas diante da sociedade. Para os cientistas pode ser ainda pior, uma vez que na maioria das vezes fazem muito por seu idealismo, na busca de deixar o mundo melhor, e acabam sendo ingênuos a ponto de esquecerem o quanto existem pessoas ruins capazes de pegar coisas boas e transformá-las no que pode haver de pior no mundo.

Dinamite

Alfred Nobel tem o seu nome estampado no Prêmio Nobel. Chega a ser irônico que nomeie o Nobel da Paz, uma vez que passou quase toda a sua vida criando armas de guerra. Ele inventou a dinamite com o motivo mais nobre – e surreal – possível. Ele queria inventar uma arma que fosse capaz, depois de usada, de acabar com qualquer guerra em curso. Ele se considerava neutro, inventando armas de guerra e lutando pela paz no século 19. Quando viu o que a dinamite fazia no campo de batalha, ele finalmente percebeu que todas as suas intenções foram falhas.

Spray de Pimenta

Na década de 1980, o funcionário do FBI, Kamran Loghman, ficou responsável pela criação de uma arma não letal para ser usada pela polícia. Ele criou o spray de pimenta. Loghman ficou chocado quando viu sua criação sendo usada em protestos contra alunos da Universidade da Califórnia, em Davis, no ano de 2011. Ele se arrependeu de sua criação ao perceber que a arma passou a ser usada como ferramenta de repressão, usada contra o próprio povo.

Fissão Nuclear

Quando Albert Einstein criou a equação E = mc², ele não tinha ideia que ela seria usada para a criação da bomba nuclear. Apesar de nunca ter trabalhado diretamente na criação da bomba, ele abriu o caminho quando criou a teoria da relatividade. Sua consciência pesava ainda mais por ser um pacifista assumido. Além disso, ele incentivou a criação da bomba quando saiu uma informação que a Alemanha estava avançando na criação de uma bomba nuclear. Quando percebeu que isso não era verídico, se arrependeu do apoio dado.

AK-47

Mikhail Kalashnikov foi um militar russo que inventou a AK-47 para defender a União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial. O que ele não esperava é que a sua criação fosse usada por combatentes e terroristas por tantas décadas seguintes. Após sua criação, a AK-47 entrou em produção de massa e foi a arma mais usada durante o século 20. Como católico devoto, Mikhail Kalashnikov sentiu o peso de sua moral cristã cair nos ombros.

Labradoodle

Wally Conron trabalhava para a Royal Guide Dog Association of Australia quando criou a raça de cachorro Labradoodle. Apesar de ter sido criado para funcionar como cão guia para pessoas cegas, porém a popularidade do Labradoodle aumentou tanto, que acabou criando um espaço para criadores antiéticos se aproveitarem. Esses criadores fazem o cruzamento de raças incompatíveis sem ligar a mínima para o bem estar dos animais que chegarão ao mundo. Obviamente, Wally não ficou nada feliz com isso – nem a gente.

Ecstasy

Alexander Shulgin criou uma fórmula de Ecstasy na década de 1970 – sendo que a testou nele mesmo – com o objetivo de criar um remédio psicoterapêutico. Não demorou muito para que o remédio chegasse às ruas e se transformasse em uma droga popular, muito usada por quem frequenta raves. Quando a droga foi banida, tudo que restou foi a produção e distribuição ilegal, sendo que elementos perigosos foram adicionados à fórmula no mercado negro. Shulgin lamenta muito que isso tenha acontecido.

Injeção letal

Dr. Jay Chapman, chefe legista do estado de Oklahoma, nos EUA, criou a injeção letal com o objetivo de diminuir a morte por pelotão de fuzilamento, cadeira elétrica, suspensão ou câmara de gás, que eram tão populares nos anos 1970. Sua intenção era que o método de execução pudesse se tornar mais humano. O problema é que, na verdade, a invenção não ajudou em nada.

Antiga e bizarra teoria sobre a Disney é confirmada

Há cerca de 11 anos surgiu uma história bizarra nos blogs dos fãs da Disney. A “lenda urbana”, se é que podemos chamar assim, diz que muitas pessoas já espalharam as cinzas de entes queridos na Disneyland e no Disney World. Pode parecer apenas aqueles boatos criados por blogs, mas acreditem, não é. Estamos falando isso porque o Wall Street Journal confirmou que essa lenda realmente existe. O mais curioso é que não são apenas casos isolados, na verdade, isso acontece com muita frequência.

Cinzas de pessoas cremadas espalhadas na Disneyland

Os funcionários da Disneyland têm até um código especial para relatar quando isso acontece. O código é “limpeza HEPA”, cuja sigla faz referência a um tipo especial de filtro de aspirador de pó necessário para sugar partículas muito finas, como cinzas humanas. O Wall Street Journal fez uma reportagem onde eles conversaram com os funcionários do parque que participaram da limpeza de restos humanos. Eles relataram pelo menos três famílias fazendo isso.

O jornal explicou o caso da seguinte forma: “Guardas e ex-guardas dos parques da Disney dizem que identificar e aspirar as cinzas humanas é uma parte secreta e particular do trabalho no Lugar Mais Feliz da Terra. Isso dá um trabalho horrível para os funcionários, mas é um momento catártico para os enlutados, que dizem que ter a Disney como local do descanso final é uma homenagem para fãs fervorosos”.

Algumas pessoas acham que espalhar as cinzas pelo parque vai fazer com que seus entes queridos possam sentir que estão aproveitando o lugar mais uma vez. Os primeiros relatos sobre espalhar cinzas na Disneyland surgiu em 2007, quando um homem foi visto espalhando uma substância não identificada na água do brinquedo Piratas do Caribe.

7 produtos que se popularizaram graças às guerras

A guerra molda a humanidade e define, como um xadrez gigante, os próximos rumos que a humanidade irá seguir. Se pararmos para prestar atenção, veremos que nunca existiu algum tempo na Terra realmente livre de guerras. A sensação que fica é que o ser humano está em constante conflito, sem nunca chegar ao fim. Pensar nisso é triste e pode, facilmente, causar uma crise depressiva em quem ousa raciocinar. Mais pesado ainda, é imaginar que existe um grande número de pessoas que lucram com a guerra.

Vários produtos que nós usamos hoje em dia têm suas histórias misturadas com histórias de guerra. Estou falando de marcas extremamente populares que devido a demanda ou até devido a uma ideia extremamente boa, fizeram o seu nome e muita fama.

M&M’s

Os confetes de chocolate M&M’s foram criados em meio à Guerra Civil Espanhola. Acontece que em meio à guerra, soldados levavam chocolates dentro de cascas de açúcar para não derreter no bolso ou na mão. O empresário americano Forrest Mars, junto com o seu sócio Bruce Murrie – daí vem o nome M&M – resolveram lançar a “gambiarra gastronômica” comercialmente. O resultado você já sabe, não é? Sucesso total.

Ray-Ban

A origem dos óculos Ray-Ban remonta os anos de 1937 e tem suas raízes misturadas com as da Segunda Guerra Mundial. O Aviador, modelo mais popular da marca, foi desenvolvido graças aos pedidos de aviadores da aeronáutica americana. O protótipo original tinha lentes verdes, com a única finalidade de reduzir as náuseas e dores de cabeça sentidas pelos pilotos que estavam voando em grandes altitudes.

Jeep

A marca Jeep foi criada em 1941, e com certeza não tinha como intuito se tornar um produto para cidadãos comuns. Ele foi criado para ser usado pelos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. O sucesso foi tanto que o modelo Willys MB se tornou o mais usado pelo exército americano.

Fanta

Como muitos dos tópicos dessa lista, a Fanta também foi criada durante a Segunda Guerra Mundial. Existia um embargo que impedia que a Coca-Cola entrasse na Alemanha Nazista. Em 1955, a Coca lançou o refrigerante para o mundo. Hoje existem pessoas que são muito mais adeptas de uma boa Fanta gelada do que de uma Coca.

Adidas e Puma

Os irmãos Adi e Rudolf, antes de fundarem a Adidas e a Puma, eram parceiros  na companhia Dassler Brothers Sport Shoe, em 1920. Depois de conflitos internos, os irmãos se desentenderam. O estopim foi quando, durante um bombardeio na Alemanha no decorrer da Segunda Guerra, Adi e sua mulher estavam entrando em um abrigo anti-ataque aéreo quando ele disse “Esses bastardos imundos estão de volta”. Rudolf estava lá com sua mulher e achou que o comentário de Adi era direcionado a ele. Em 1945, Adi fundou a Adidas, e Rudi, a Puma.

Motorola

A Motorola foi criada em 1928 e, inicialmente, trabalhava com a fabricação de baterias. A marca começou como Galvin Manufacturing Corporation. Durante a Segunda Guerra Mundial, as coisas mudaram e uma nova demanda crescia. Em 1940, a empresa criou o rádio portátil para comunicação nos campos de batalha. Hoje ela é uma das maiores empresas de celulares do mundo

Fusca

Quem não guarda certo saudosismo com o Fusca? Ele é usado até hoje. O engenheiro Ferdinand Porsche criou o Volkswagen Beetle devido a um pedido pessoal, em 1938. Adolf Hitler foi quem pediu a criação do Fusca. Ele queria um carro popular que pudesse ser vendido na Alemanha a um preço acessível, devido a inauguração de sua extensa rede rodoviária alemã.

E aí, o que você achou dessa lista? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Para você que nunca mais verá um Fusca com os mesmos olhos, aquele abraço.

Teoricamente, você pode transferir dados por ondas gravitacionais

Em um estudo publicado recentemente na revista científica Classical and Quantum Gravity, conduzido por Olga Babourova, professora da Universidade de Moscou, se aborda que ondas gravitacionais poderiam ser usadas para transmitir informações, assim como já acontece com ondas eletromagnéticas através das antenas e satélites.

Originalmente prevista pela teoria da relatividade de Einstein, as ondas gravitacionais são ondulações no tempo-espaço que são formadas por grandes eventos astronômicos, como a fusão de um par binário de buracos negros. Em fevereiro de 2016, os cientistas do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferometria Laser (Ligo, na sigla em inglês) anunciaram a primeira detecção de ondas gravitacionais e marcaram a história.

O estudo

O estudo foi realizado em três etapas para que os cientistas pudessem determinar se as ondas gravitacionais poderiam ser codificadas e usadas para transmitir informações. Na primeira etapa, foram analisadas as propriedades dessas ondas em um espaço métrico genérico, uma construção algébrica tridimensional que independe de vetores ou pontos de origem.

E isso é similar a como as propriedades das ondas eletromagnéticas são avaliadas usando a variedade quadridimensional que também é conhecida como tempo-espaço de Minowski. Isso possibilitou que a equipe saísse do campo matemático sobre as ondas gravitacionais e partissem para sua descrição no espaço real.

Já na segunda etapa, os cientistas buscaram compreender se as variadas funções do tempo mudariam ao longo do processo de distribuição da onda. Assim, eles descobriram que as características de uma onda podem ser ajustadas na fonte e então codificadas em uma outra fonte. E na última etapa, eles então fizeram testes para ver se a estrutura não métrica das ondas poderiam ser usadas para codificar um sinal de informação.

O resultado

O resultado foi que das quatro dimensões de uma onda gravitacional, sendo três delas dimensões espaciais e uma a dimensão tempo, três poderiam codificar um sinal de informação usando apensa uma função enquanto a quarta usaria duas funções.

“Descobrimos que as ondas não métricas são capazes de transmitir dados de forma similar às ondas de curvatura descobertas recentemente, porque sua descrição contém funções arbitrárias de tempo retardado que podem ser codificadas na fonte de tais ondas (em uma analogia perfeita com ondas eletromagnéticas)”, resumiu Nina V. Markova, professora assistente no Instituto Matemático Nikolsky e coautora do estudo, em um comunicado de imprensa.

Em geral, a equipe pode demonstrar, baseado na representação matemática, que existem funções nas ondas gravitacionais que continuam invariáveis no processo de distribuição das ondas. Isso significa que assim como usamos as ondas eletromagnéticas para transferir informações codificadas através de sinais de rádio, por exemplo, o mesmo será possível através das ondas gravitacionais.

5 teorias complexas explicada de uma forma mais simples

Antes de podermos comprar algo factualmente tudo se dá origens em especulações e teorias. Na verdade, basicamente é disso que é feito a ciência. A arte mágica de experimentar, deduzir, e claro, testar. Ao longo de nossa história, muitas teorias sobre diversas coisas foram surgindo, algumas se provaram efetivas e reais, enquanto outras foram descartadas e os cientistas tiveram que voltar para suas pranchetas.

Tais teorias, por exemplo, são desenvolvidas para que possamos compreender fenômenos entre outras coisas que acontecem no universo em que vivemos no geral. No entanto, muitas delas são muito complicadas  e muitas vezes quase incompreensíveis para a grande maioria de nós. Pensando nisso, hoje listamos algumas delas e foram explicadas de maneira mais simplificadas e que vão te impressionar. Confira!

Emaranhamento quântico

Dois elétrons que são criados juntos estarão para sempre “emaranhados”, independente da distância entre eles. Uma mudança no giro quântico de um deles também causará a mesma mudança no outro. Em teoria, não há limite de distância de separação desse elétrons, e não importa quão longe eles estejam, ainda assim, as ações tomadas em um afetariam o outro instantaneamente.

Evolução

Segundo cientistas, há cerca de 140 mil anos, no Quênia, vivia uma mulher chamada Eva mitocondrial. Ela é chamada dessa forma porque toda pessoa que já passou pela Terra tem o DNA mitocondrial igual ao dela. No entanto, há apenas 3 mil anos vivia nosso ancestral comum mais recente, que através do crescimento exponencial da árvore genealógica, é também nosso ancestral.

Essencialmente, toda vida na Terra pode ser considerada uma reação química que ainda está se desenvolvendo e que deriva de um organismo unicelular que há cerca de 4 bilhões de anos decidiu dar origem a todas as criaturas que já conhecemos.

Interpretação de Copenhague

A interpretação de Copenhague foi proposta por Neils Bohr, em 1920. Segundo a teoria, uma partícula quântica não existe em um estado ou outro, mas em todos possíveis ao mesmo tempo. Quando a observamos, ela é então forçada a escolher uma probabilidade e se apresentar de tal forma. Então, se tudo é apenas uma onda de probabilidade, isso significa que qualquer coisa possível pode acontecer a qualquer momento.

4 – Teoria dos Muitos Mundos

Na Teoria dos Muitos Mundos, a ideia sobre a interpretação de Copenhague é descartada, pois, na verdade as partículas não estão mudando porque as estamos observando e sim porque estamos vendo sua ação apenas em um universo, ao invés dos infinitos que, supostamente, existem. Então, ao invés dela escolher um estado observável, de fato, ela existe nesses dois estados, a questão é que não conseguimos observá-las em ambos ao mesmo tempo.

Ou seja, para todas as coisas que você já fez em sua vida, existe uma realidade (universo) paralela onde você provavelmente tomou outras decisões e teve outra atitude frente as mesmas situações.

O universo é gigante

O nosso universo é tao grande, mas tão grande que nosso cérebro não consegue ter uma noção exata de toda sua imensidão. E ele só fica maior. Para se ter uma noção somente na imagem acima feito com o telescópio espacial Hubble, da NASA, existem aproximadamente 10 mil galáxias que contem, em cada uma, de dez milhões a um trilhão de estrelas. E isso é só uma amostra do pouco que pudemos observar do universo até então.

Doença cardíaca, diabetes, sedentarismo ou fumo? Qual é o mais perigoso para sua saúde?

Todo mundo sabe quais são os “macetes” para ser saudável. Não fumar, estar em forma, comer bem, praticar exercícios e ter uma boa noite de sono. O cigarro, por exemplo, é um vício que mata milhões de pessoas. Muitos pensam que ser saudável é apenas não ter nenhuma doença séria, mas na verdade é muito mais que isso.

Mas o que pode ser mais perigoso para a nossa saúde: diabetes, doença cardíaca, sedentarismo ou fumar? Muitos dirão que a resposta é óbvia, mas é aí que vocês se enganam. Estamos falando isso porque um estudo recente afirmou que não se exercitar pode ser mais prejudicial à saúde do que fumar, por exemplo. Será mesmo? A gente conta mais detalhes sobre esse estudo para vocês.

Diabetes, doença cardíaca, sedentarismo ou fumar, qual é mais perigoso?

Depois de estudarem 122.007 pacientes, entre 1991 e 2014, os pesquisadores da Cleveland Clinic chegaram a uma conclusão inesperada. Eles fizeram testes em esteira nos pacientes e, posteriormente, registraram as taxas de mortalidade. Foi descoberto uma conexão clara entre uma vida mais longa e saudável e altos níveis de exercícios físicos.

No estudo, foi declarado o seguinte: “A aptidão cardiorrespiratória está inversamente associada à mortalidade a longo prazo, sem limite superior de benefício observado. Aptidão aeróbica extremamente alta foi associada com a maior sobrevida e foi associada ao benefício em pacientes idosos e naqueles com hipertensão”.

Mesmo que seja amplamente entendido que um estilo de vida ativo pode nos levar a ter uma vida saudável, o estudo concluiu que um estilo de vida sedentário é o mesmo que ter uma doença grave e a cura mais simples, obviamente, é o exercício. Dr. Wael Jaber, coautor do estudo, disse que os resultados são surpreendentes.

“Não se sair bem em uma esteira ou em um teste de esforço físico tem um pior prognóstico do que ser hipertenso, ser diabético ou mesmo ser fumante. Nunca vimos algo tão pronunciado e objetivo quanto isto”, disse Jaber.

Os pesquisadores também estudaram o risco de ser superativo e descobriu que os exercícios “ultra” não enfrentam maior risco de morte. Segundo a pesquisa, quanto mais uma pessoa pratica exercícios, menores são as taxas de mortalidade.

Os benefícios do exercício foram vistos em todas as idades, tanto em homens, como em mulheres, “provavelmente um pouco mais pronunciado em mulheres”, disse Jaber. “Seja nos seus 40 ou 80 anos, você se beneficiará da mesma maneira”.

O que podemos concluir com isso? Não adianta não fumar ou mesmo não ter uma doença grave, é preciso praticar exercícios para sermos mais saudáveis.